100 álbuns que abalaram o mundo do jazz

28/02/2020 | 17:05

Por Emerson Lopes*

A proposta da revista inglesa Jazzwise é bem simples. Apontar os 100 discos de jazz que mais abalaram o mundo do jazz e que mudaram, de alguma forma, a rota do jazz em mais de um século de história. É uma proposta ousada e que dificilmente contentará a todos, mas a lista tem argumentos para cada um dos títulos selecionados, ou seja, não é apenas mais um Top 100 baseado exclusivamente no que “os outros dizem”. Todos os discos indicados trazem dados interessantes sobre o contexto que foram criados e como seus criadores ousaram em suas obras.

A justificativa para cada título pode não convencer você, mas isso não parece intimidar os críticos que foram chamados para encarar o desafio. Todos os discos indicados foram lançados no século XX. As exceções são o trio norte-americano The Bad Plus (These Are The Vistas) e o grupo britânico Polar Bear (Held On The Tips of Fingers). Ambos trazem propostas ousadas e misturam diferentes influências musicais em suas composições.

Hancock mergulha no fusion com o disco Head Hunters

Ao analisarmos rapidamente os títulos escolhidos, é possível perceber que “ninguém” ficou de fora. Os grandes nomes, ou seja, quem sempre aparece neste tipo de lista, estão aqui: Miles Davis, John Coltrane, Dave Brubeck, Charlie Parker, Louis Armstrong, Herbie Hancock, Duke Ellington, Thelonious Monk, Dizzy Gillespie, Charles Mingus, Sonny Rollins, Count Basie, Chick Corea, Ella Fitzgerald, Billie Holiday e Sarah Vaughan.

Outra particularidade que fica evidente é falta de artista contemporâneas na lista, que somam aproximadamente 10% das indicações. Entre eles, além do The Bad Plus e Polar Bear, estão Wynton Marsalis, Diana Krall, Cassandra Wilson, Courtney Pine, Esbjörn Svensson Trio, Brad Mehldau, John Zorn, Steve Coleman e Medeski, Martim and Wood. Obviamente que Marsalis não é exatamente contemporâneo, mas ele é um dos artistas pós década de 1980 que aparece na lista.

Seis décadas depois, disco de Sonny Rollins continua imprescindível  

Ao fazer uma compilação com álbuns que mudaram as diretrizes do jazz, seria inevitável incluir discos que fizeram parte do free jazz e avant-garde, ambos nascidos na década de 1960. São desses movimentos que nasceram obras fundamentais dos pianistas Andre Hill e Cecil Taylor, dos saxofonistas Ornette Coleman, Albert Ayler, Anthony Braxton, Charles Lloyd, Roland Kirk, Sun Ra, Archie Shepp, Peter Brötzmann, Pharoah Sanders e Eric Dolphy e dos grupos Art Ensemble of Chicago e Music Improvisation Company. A revolução do fusion jazz, iniciada no começo da década de 1970, também está muito bem representada aqui. Entre seus mais ilustres representantes estão Mahavishnu Orchestra (liderado pelo guitarrista John McLaughlin), Herbie Hancock e seu álbum Head Hunters, Weather Report, Chick Corea e seu disco Return To Forever  (com participações dos brasileiros Airto Moreira e Flora Purim) e Miles Davis, com o brilhante Bitches Brew, que em 2020 completa 50 anos do seu lançamento.

Parceria entre Stan Getz e João Gilberto mostra a força da bossa nova 

Além da cantora Flora Purim e o percussionista Airto Moreira, o Brasil é lembrado em outras duas oportunidades. A primeira, obviamente, é o disco de João Gilberto e parceria com o saxofonista Stan Getz: Getz/Gilberto, de 1963. O álbum é o ápice da fusão da bossa nova com o jazz. A batida da música brasileira foi adotada pelos jazzistas na década de 1960 e, até hoje, é lembrada e reverenciada no exterior. O outro brasileiro citado é a pianista Eliane Elias, na época que fazia parte do quinteto Steps Ahead. O grupo liderado pelo saxofonista Michael Brecker trazia em seu som um jazz mais contemporâneo e que seria base de uma parcela significativa da produção jazzística da década de 1980. Abaixo você encontra o Top 20 da lista criada pela Jazzwise. Além do nome do disco, da gravadora e do ano de seu lançamento, a listagem mostra o nome de todos os músicos que participaram de cada disco indicado. Para conhecer o ranking completo, clique aqui e acesse o site da revista britânica.

 

1 – Miles Davis – Kind of Blue – Columbia
Miles Davis (t), John Coltrane (ts), Cannonball Adderley (as), Wynton Kelly (p), Bill Evans (p), Paul Chambers (b) and Jimmy Cobb (d).
1959

2 – John Coltrane – A Love Supreme – Impulse!
Coltrane (ts, v), McCoy Tyner (p), Jimmy Garrison (b) and Elvin Jones (d).
1964

3 – Ornette Coleman – The Shape of Jazz To Come – Atlantic
Coleman (as), Don Cherry (t), Charlie Haden (b), Billy Higgins (d).
1959

4 – Bill Evans Trio – Sunday At The Village Vanguard – Riverside
Evans (p), Scott LaFaro (b) and Paul Motian (d).
1961

5 – Sonny Rollins – Saxophone Colossus – Prestige
Rollins (ts), Tommy Flanagan (p), Doug Watkins (b) and Max Roach (d).
1956

6 – Thelonious Monk – Brilliant Corners – Riverside
Monk (p, celeste), Ernie Henry (as), Sonny Rollins (ts), Oscar Pettiford/Paul Chambers (b), Max Roach (d) and Clark Terry (t).
1956

7 – Charles Mingus – Mingus Ah Um – Columbia
Mingus (b), Jimmy Knepper/Willie Dennis (tb), John Handy (as, ts), Shafi Hadi (as), Booker Ervin (ts), Horace Parlan (p) and Dannie Richmond (d).
1959

8 – Charlie Parker – Bird: The Complete Original Master Takes. The Savoy Recordings – Savoy Jazz
Parker (as, ts), Miles Davis (t), Dizzy Gillespie, Argonne Thornton, Clyde Hart, Bud Powell, John Lewis, Duke Jordan (p), Tiny Grimes (g, v), Curley Russell, Tommy Potter (b), Harold West and Max Roach (d) plus others.
1945-48

9 – Miles Davis – Bitches Brew – Columbia
Miles Davis (t), Wayne Shorter (ss), Bennie Maupin (b cl), Joe Zawinul, Chick Corea (el p), John McLaughlin (g), Dave Holland (b), Harvey Brooks (el b), Lenny White, Jack DeJohnette (d), Don Alias (perc) and Jumma Santos (shaker).
1969

10 – Keith Jarrett – The Köln Concert – ECM
Jarrett (p).
1975

11 – John Coltrane – Giant Steps – Atlantic
Coltrane (ts), Tommy Flanagan, Cedar Walton, Wynton Kelly (p), Paul Chambers (b), Lex Humphries, Art Taylor and Jimmy Cobb (d).
1959

12 – Eric Dolphy – Out to Lunch – Blue Note
Dolphy (f, as, b cl), Freddie Hubbard (t), Bobby Hutcherson (vb), Richard Davis (b) and Tony Williams (d).
1964

13 – Louis Armstrong – Complete Hot Fives and Sevens – Columbia
Armstrong (ct, v), Honore Dutrey, Edward Kid Ory, J.C. Higginbotham, Jack Teagarden (tb), Johnny Dodds, Don Redman, Jimmie Noone (cl), Barney Bigard, Happy Caldwell (ts), Lonnie Johnson (g), Johnny St Cyr (bj), Lil Hardin, Earl Hines (p), Baby Dodds, Zutty Singleton (d) and others.
1925-1930

14 – Duke Ellington – The Blanton-Webster Band – RCA Bluebird
Ellington (p), Wallace Jones, Cootie Williams, Ray Nance (t), Rex Stewart (ct), Joe Nanton, Lawrence Brown (tb), Juan Tizol (v tb), Barney Bigard (cl), Johnny Hodges, Otto Hardwick (as), Ben Webster (ts), Harry Carney (bs, bcl) Fred Guy (g), Billy Strayhorn (p), Jimmy Blanton (b), Sonny Greer (d), Ivie Anderson, Herb Jeffries (v) and others.
1940-1942

15 – Mahavishnu Orchestra – Inner Mounting Flame – Columbia
John McLaughlin (g), Jerry Goodman (vln), Jan Hammer (key), Rick Laird (b) and Billy Cobham (d).
1972

16 – Albert Ayler Trio – Spiritual Unity – ESP-Disk
Ayler (ts), Gary Peacock (b) and Sunny Murray (d).
1964

17 – Herbie Hancock – Head Hunters – Columbia
Herbie Hancock (ky), Bennie Maupin (saxes, fl, b cl), Paul Jackson (b), Harvey Mason (d) and Bill Summers (perc).
1973

18 – Dave Brubeck – Time Out – Columbia
Brubeck (p), Paul Desmond (as), Eugene Wright (b) and Joe Morello (d).
1959

19 – Ornette Coleman – Free Jazz – Atlantic
Ornette Coleman (as), Freddie Hubbard, Don Cherry (t), Eric Dolphy (b cl), Scott LaFaro, Charlie Haden (b), Ed Blackwell and Billy Higgins (d).
1960

20 – Weather Report – Heavy Weather – Columbia
Joe Zawinul (ky), Wayne Shorter (ts, ss), Jaco Pastorius (b), Alex Acuña (d) and Manolo Badrena (perc).
1976

 

 

*Emerson Lopes    é jornalista, autor do livro     Jazz ao seu alcance, da editora Multifoco, e apresentador do podcast     Jazzy.     Saiba mais sobre o livro     aqui. Ouça o podcast    aqui

NULL

Por Emerson Lopes*

A proposta da revista inglesa Jazzwise é bem simples. Apontar os 100 discos de jazz que mais abalaram o mundo do jazz e que mudaram, de alguma forma, a rota do jazz em mais de um século de história. É uma proposta ousada e que dificilmente contentará a todos, mas a lista tem argumentos para cada um dos títulos selecionados, ou seja, não é apenas mais um Top 100 baseado exclusivamente no que “os outros dizem”. Todos os discos indicados trazem dados interessantes sobre o contexto que foram criados e como seus criadores ousaram em suas obras.

A justificativa para cada título pode não convencer você, mas isso não parece intimidar os críticos que foram chamados para encarar o desafio. Todos os discos indicados foram lançados no século XX. As exceções são o trio norte-americano The Bad Plus (These Are The Vistas) e o grupo britânico Polar Bear (Held On The Tips of Fingers). Ambos trazem propostas ousadas e misturam diferentes influências musicais em suas composições.

Hancock mergulha no fusion com o disco Head Hunters

Ao analisarmos rapidamente os títulos escolhidos, é possível perceber que “ninguém” ficou de fora. Os grandes nomes, ou seja, quem sempre aparece neste tipo de lista, estão aqui: Miles Davis, John Coltrane, Dave Brubeck, Charlie Parker, Louis Armstrong, Herbie Hancock, Duke Ellington, Thelonious Monk, Dizzy Gillespie, Charles Mingus, Sonny Rollins, Count Basie, Chick Corea, Ella Fitzgerald, Billie Holiday e Sarah Vaughan.

Outra particularidade que fica evidente é falta de artista contemporâneas na lista, que somam aproximadamente 10% das indicações. Entre eles, além do The Bad Plus e Polar Bear, estão Wynton Marsalis, Diana Krall, Cassandra Wilson, Courtney Pine, Esbjörn Svensson Trio, Brad Mehldau, John Zorn, Steve Coleman e Medeski, Martim and Wood. Obviamente que Marsalis não é exatamente contemporâneo, mas ele é um dos artistas pós década de 1980 que aparece na lista.

Seis décadas depois, disco de Sonny Rollins continua imprescindível  

Ao fazer uma compilação com álbuns que mudaram as diretrizes do jazz, seria inevitável incluir discos que fizeram parte do free jazz e avant-garde, ambos nascidos na década de 1960. São desses movimentos que nasceram obras fundamentais dos pianistas Andre Hill e Cecil Taylor, dos saxofonistas Ornette Coleman, Albert Ayler, Anthony Braxton, Charles Lloyd, Roland Kirk, Sun Ra, Archie Shepp, Peter Brötzmann, Pharoah Sanders e Eric Dolphy e dos grupos Art Ensemble of Chicago e Music Improvisation Company. A revolução do fusion jazz, iniciada no começo da década de 1970, também está muito bem representada aqui. Entre seus mais ilustres representantes estão Mahavishnu Orchestra (liderado pelo guitarrista John McLaughlin), Herbie Hancock e seu álbum Head Hunters, Weather Report, Chick Corea e seu disco Return To Forever  (com participações dos brasileiros Airto Moreira e Flora Purim) e Miles Davis, com o brilhante Bitches Brew, que em 2020 completa 50 anos do seu lançamento.

Parceria entre Stan Getz e João Gilberto mostra a força da bossa nova 

Além da cantora Flora Purim e o percussionista Airto Moreira, o Brasil é lembrado em outras duas oportunidades. A primeira, obviamente, é o disco de João Gilberto e parceria com o saxofonista Stan Getz: Getz/Gilberto, de 1963. O álbum é o ápice da fusão da bossa nova com o jazz. A batida da música brasileira foi adotada pelos jazzistas na década de 1960 e, até hoje, é lembrada e reverenciada no exterior. O outro brasileiro citado é a pianista Eliane Elias, na época que fazia parte do quinteto Steps Ahead. O grupo liderado pelo saxofonista Michael Brecker trazia em seu som um jazz mais contemporâneo e que seria base de uma parcela significativa da produção jazzística da década de 1980. Abaixo você encontra o Top 20 da lista criada pela Jazzwise. Além do nome do disco, da gravadora e do ano de seu lançamento, a listagem mostra o nome de todos os músicos que participaram de cada disco indicado. Para conhecer o ranking completo, clique aqui e acesse o site da revista britânica.

 

1 – Miles Davis – Kind of Blue – Columbia
Miles Davis (t), John Coltrane (ts), Cannonball Adderley (as), Wynton Kelly (p), Bill Evans (p), Paul Chambers (b) and Jimmy Cobb (d).
1959

2 – John Coltrane – A Love Supreme – Impulse!
Coltrane (ts, v), McCoy Tyner (p), Jimmy Garrison (b) and Elvin Jones (d).
1964

3 – Ornette Coleman – The Shape of Jazz To Come – Atlantic
Coleman (as), Don Cherry (t), Charlie Haden (b), Billy Higgins (d).
1959

4 – Bill Evans Trio – Sunday At The Village Vanguard – Riverside
Evans (p), Scott LaFaro (b) and Paul Motian (d).
1961

5 – Sonny Rollins – Saxophone Colossus – Prestige
Rollins (ts), Tommy Flanagan (p), Doug Watkins (b) and Max Roach (d).
1956

6 – Thelonious Monk – Brilliant Corners – Riverside
Monk (p, celeste), Ernie Henry (as), Sonny Rollins (ts), Oscar Pettiford/Paul Chambers (b), Max Roach (d) and Clark Terry (t).
1956

7 – Charles Mingus – Mingus Ah Um – Columbia
Mingus (b), Jimmy Knepper/Willie Dennis (tb), John Handy (as, ts), Shafi Hadi (as), Booker Ervin (ts), Horace Parlan (p) and Dannie Richmond (d).
1959

8 – Charlie Parker – Bird: The Complete Original Master Takes. The Savoy Recordings – Savoy Jazz
Parker (as, ts), Miles Davis (t), Dizzy Gillespie, Argonne Thornton, Clyde Hart, Bud Powell, John Lewis, Duke Jordan (p), Tiny Grimes (g, v), Curley Russell, Tommy Potter (b), Harold West and Max Roach (d) plus others.
1945-48

9 – Miles Davis – Bitches Brew – Columbia
Miles Davis (t), Wayne Shorter (ss), Bennie Maupin (b cl), Joe Zawinul, Chick Corea (el p), John McLaughlin (g), Dave Holland (b), Harvey Brooks (el b), Lenny White, Jack DeJohnette (d), Don Alias (perc) and Jumma Santos (shaker).
1969

10 – Keith Jarrett – The Köln Concert – ECM
Jarrett (p).
1975

11 – John Coltrane – Giant Steps – Atlantic
Coltrane (ts), Tommy Flanagan, Cedar Walton, Wynton Kelly (p), Paul Chambers (b), Lex Humphries, Art Taylor and Jimmy Cobb (d).
1959

12 – Eric Dolphy – Out to Lunch – Blue Note
Dolphy (f, as, b cl), Freddie Hubbard (t), Bobby Hutcherson (vb), Richard Davis (b) and Tony Williams (d).
1964

13 – Louis Armstrong – Complete Hot Fives and Sevens – Columbia
Armstrong (ct, v), Honore Dutrey, Edward Kid Ory, J.C. Higginbotham, Jack Teagarden (tb), Johnny Dodds, Don Redman, Jimmie Noone (cl), Barney Bigard, Happy Caldwell (ts), Lonnie Johnson (g), Johnny St Cyr (bj), Lil Hardin, Earl Hines (p), Baby Dodds, Zutty Singleton (d) and others.
1925-1930

14 – Duke Ellington – The Blanton-Webster Band – RCA Bluebird
Ellington (p), Wallace Jones, Cootie Williams, Ray Nance (t), Rex Stewart (ct), Joe Nanton, Lawrence Brown (tb), Juan Tizol (v tb), Barney Bigard (cl), Johnny Hodges, Otto Hardwick (as), Ben Webster (ts), Harry Carney (bs, bcl) Fred Guy (g), Billy Strayhorn (p), Jimmy Blanton (b), Sonny Greer (d), Ivie Anderson, Herb Jeffries (v) and others.
1940-1942

15 – Mahavishnu Orchestra – Inner Mounting Flame – Columbia
John McLaughlin (g), Jerry Goodman (vln), Jan Hammer (key), Rick Laird (b) and Billy Cobham (d).
1972

16 – Albert Ayler Trio – Spiritual Unity – ESP-Disk
Ayler (ts), Gary Peacock (b) and Sunny Murray (d).
1964

17 – Herbie Hancock – Head Hunters – Columbia
Herbie Hancock (ky), Bennie Maupin (saxes, fl, b cl), Paul Jackson (b), Harvey Mason (d) and Bill Summers (perc).
1973

18 – Dave Brubeck – Time Out – Columbia
Brubeck (p), Paul Desmond (as), Eugene Wright (b) and Joe Morello (d).
1959

19 – Ornette Coleman – Free Jazz – Atlantic
Ornette Coleman (as), Freddie Hubbard, Don Cherry (t), Eric Dolphy (b cl), Scott LaFaro, Charlie Haden (b), Ed Blackwell and Billy Higgins (d).
1960

20 – Weather Report – Heavy Weather – Columbia
Joe Zawinul (ky), Wayne Shorter (ts, ss), Jaco Pastorius (b), Alex Acuña (d) and Manolo Badrena (perc).
1976

 

 

*Emerson Lopes    é jornalista, autor do livro     Jazz ao seu alcance, da editora Multifoco, e apresentador do podcast     Jazzy.     Saiba mais sobre o livro     aqui. Ouça o podcast    aqui

COMPARTILHE