fbpx

Grammy 2021: Chick Corea leva dois prêmios

16/03/2021 | 18:01

Emerson Lopes *

Os premiados na 63ª edição do Grammy foram conhecidos no dia 15 de março. Originalmente, a festa aconteceria em 31 de janeiro, mas, diante da pandemia, a cerimônia foi adiada. A entrega dos gramofones dourados aconteceu parcialmente presencial e com algumas apresentações, entre elas, Cardi B, Dua Lipa, Lionel Richie, Billie Eilish, Bruno Mars e Anderson Paak. O disco do ano ficou com a cantora Taylor Swift, pelo disco Folklore.

Nas categorias de jazz, o veterano Chick Corea, falecido no dia 9 de fevereiro, aos 79 anos, levou o prêmio em duas categorias. Ele venceu o Grammy de melhor gravação, pela música “All Blues”, e de melhor álbum de jazz, com o disco Trilogy 2, que tem Corea acompanhado do baixista Christian McBride e do baterista Brian Blade. Corea tem ao todo 23 prêmios Grammy.

Na categoria melhor disco de jazz vocal, o prêmio ficou com a parceria entre o cantor Kurt Elling e o pianista Danilo Pérez, com o disco Secrets Are the Best Stories. Na categoria melhor disco vocal pop tradicional, o veterano James Taylor, com o seu disco American Standard, superou os cantores Harry Connick Jr e Daniel Tashian.

O violonista brasileiro Chico Pinheiro foi indicado na categoria melhor disco de jazz latino, com o álbum City of Dreams, mas o prêmio ficou com o pianista Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra, pelo disco Four Questions. A cantora Bebel Gilberto também não conquistou o Grammy na categoria melhor disco de música global, que antigamente era chamado de world music. Seu álbum, Agora, foi superado pelo cantor nigeriano Burna Boy, que venceu pelo álbum Twice as Tall.

A veterana aranjadora Maria Schneider ficou com o prêmio na categoria melhor disco de orquestra, pelo álbum Data Lords, e na categoria melhor composição instrumental, com o tema “Sputnik”. A lista completa com todas as 84 categorias você encontra no site oficial da premiação. Clique aqui.

Chick Corea

O pianista norte-americano morreu ao 79 anos, no dia 9 de março, vítima de um câncer raro descoberto meses antes de falecer. Por quase cinco décadas, Corea ofereceu ao seu público uma música rica harmonicamente e vibrante. O músico tocou com o trompetista Miles Davis, na décadea de 1960, e depois mergulhou no fusion jazz com o grupo Return to Forever, ao lado de Stanley Clarke, Al di Meola, Lenny White, Bill Connors e os brasileiros Airto Moreira e Flora Putim.

Na década de 1980, criou os grupos Elektric Band e Acoustic Band, mesclando discos com um trio acústico e um quinteto formado por sintetizadores, guitarra, bateria, baixo e saxofone. Entre seus temas mais conhecidos estão “Spain”, “Señor Mouse”, “Windows” e “Captain Marvel”.

Durante a carreira, lançou disco em dueto com o vibrafonista Gary Burton, o cantor Bobby McFerrin, o banjonista Béla Fleck e a pianista japonesa Hiromi. No fim da década e 1970, lançou o álbum duplo chamado An Evening With Herbie Hancock & Chick Corea In Concert, ao lado de outro gigante do jazz, o pianista Hernie Hancock.

O pianista foi uma das primeiras atrações a tocar no Blue Note Rio, em outubro de 2017. Na ocasião, o músico se apresentou ao lado do veterano baterista Steve Gadd.

GRAMMY VENCEDORES

Improviso jazz solo (gravação)

ALL BLUES
Chick Corea, soloist
Álbum: Trilogy 2 (Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade)

Disco de jazz vocal

SECRETS ARE THE BEST STORIES
Kurt Elling & Danilo Pérez

Disco de jazz

TRILOGY 2
Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade

Disco de jazz com orquestra

DATA LORDS
Maria Schneider Orchestra

Disco de jazz latino

FOUR QUESTIONS
Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra

 

 

 

*Emerson Lopes    é jornalista, autor do livro     Jazz ao seu alcance, da editora Multifoco, e apresentador do podcast     Jazzy.     Saiba mais sobre o livro     aqui. Ouça o podcast    aqui

NULL

Emerson Lopes *

Os premiados na 63ª edição do Grammy foram conhecidos no dia 15 de março. Originalmente, a festa aconteceria em 31 de janeiro, mas, diante da pandemia, a cerimônia foi adiada. A entrega dos gramofones dourados aconteceu parcialmente presencial e com algumas apresentações, entre elas, Cardi B, Dua Lipa, Lionel Richie, Billie Eilish, Bruno Mars e Anderson Paak. O disco do ano ficou com a cantora Taylor Swift, pelo disco Folklore.

Nas categorias de jazz, o veterano Chick Corea, falecido no dia 9 de fevereiro, aos 79 anos, levou o prêmio em duas categorias. Ele venceu o Grammy de melhor gravação, pela música “All Blues”, e de melhor álbum de jazz, com o disco Trilogy 2, que tem Corea acompanhado do baixista Christian McBride e do baterista Brian Blade. Corea tem ao todo 23 prêmios Grammy.

Na categoria melhor disco de jazz vocal, o prêmio ficou com a parceria entre o cantor Kurt Elling e o pianista Danilo Pérez, com o disco Secrets Are the Best Stories. Na categoria melhor disco vocal pop tradicional, o veterano James Taylor, com o seu disco American Standard, superou os cantores Harry Connick Jr e Daniel Tashian.

O violonista brasileiro Chico Pinheiro foi indicado na categoria melhor disco de jazz latino, com o álbum City of Dreams, mas o prêmio ficou com o pianista Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra, pelo disco Four Questions. A cantora Bebel Gilberto também não conquistou o Grammy na categoria melhor disco de música global, que antigamente era chamado de world music. Seu álbum, Agora, foi superado pelo cantor nigeriano Burna Boy, que venceu pelo álbum Twice as Tall.

A veterana aranjadora Maria Schneider ficou com o prêmio na categoria melhor disco de orquestra, pelo álbum Data Lords, e na categoria melhor composição instrumental, com o tema “Sputnik”. A lista completa com todas as 84 categorias você encontra no site oficial da premiação. Clique aqui.

Chick Corea

O pianista norte-americano morreu ao 79 anos, no dia 9 de março, vítima de um câncer raro descoberto meses antes de falecer. Por quase cinco décadas, Corea ofereceu ao seu público uma música rica harmonicamente e vibrante. O músico tocou com o trompetista Miles Davis, na décadea de 1960, e depois mergulhou no fusion jazz com o grupo Return to Forever, ao lado de Stanley Clarke, Al di Meola, Lenny White, Bill Connors e os brasileiros Airto Moreira e Flora Putim.

Na década de 1980, criou os grupos Elektric Band e Acoustic Band, mesclando discos com um trio acústico e um quinteto formado por sintetizadores, guitarra, bateria, baixo e saxofone. Entre seus temas mais conhecidos estão “Spain”, “Señor Mouse”, “Windows” e “Captain Marvel”.

Durante a carreira, lançou disco em dueto com o vibrafonista Gary Burton, o cantor Bobby McFerrin, o banjonista Béla Fleck e a pianista japonesa Hiromi. No fim da década e 1970, lançou o álbum duplo chamado An Evening With Herbie Hancock & Chick Corea In Concert, ao lado de outro gigante do jazz, o pianista Hernie Hancock.

O pianista foi uma das primeiras atrações a tocar no Blue Note Rio, em outubro de 2017. Na ocasião, o músico se apresentou ao lado do veterano baterista Steve Gadd.

GRAMMY VENCEDORES

Improviso jazz solo (gravação)

ALL BLUES
Chick Corea, soloist
Álbum: Trilogy 2 (Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade)

Disco de jazz vocal

SECRETS ARE THE BEST STORIES
Kurt Elling & Danilo Pérez

Disco de jazz

TRILOGY 2
Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade

Disco de jazz com orquestra

DATA LORDS
Maria Schneider Orchestra

Disco de jazz latino

FOUR QUESTIONS
Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra

 

 

 

*Emerson Lopes    é jornalista, autor do livro     Jazz ao seu alcance, da editora Multifoco, e apresentador do podcast     Jazzy.     Saiba mais sobre o livro     aqui. Ouça o podcast    aqui

COMPARTILHE